Facebook, Google, Apple: qual o posicionamento de empresas de tecnologia sobre o trabalho remoto?

Compartilhe este artigo na sua rede

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pocket
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Voiced by Amazon Polly

Manter a equipe de trabalho em home office já era realidade de muitas empresas antes da pandemia da COVID-19. Com a necessidade de praticar o distanciamento social, empresas que nunca consideraram este modelo de trabalho tiveram que se adaptar rapidamente e adotar como padrão o home office ou o modelo híbrido, em que as equipes alternam os dias presenciais de escritório com dias em trabalho remoto.

 

Entendendo esta nova tendência de trabalho, empresas nacionais e internacionais começaram a discutir a possibilidade de adaptar o modelo híbrido para ser o modelo padrão de trabalho. Em pesquisa em 2020 com 127 líderes de empresas, a Gartner descobriu que 82% dos líderes têm a intenção de permitir o trabalho remoto em alguns dias da semana. Para 47% dos líderes o trabalho remoto em tempo integral será implementado como padrão na empresa. Outras respostas apontam para a possibilidade de horários e dias flexíveis, consolidando uma mudança no formato de trabalho mesmo com o fim da pandemia.

 

Como essa nova tendência de trabalho afeta as empresas de tecnologia e o que podemos aprender com o modelo de cada uma delas? Separamos algumas delas para analisar a seguir.

 

Facebook

 

Desde o início da pandemia da COVID-19, o Facebook não mede esforços para auxiliar no enfrentamento da doença, compartilhando informações e relatórios sobre a movimentação de usuários para auxiliar cientistas na análise de dados. Como a maior parte das empresas, o Facebook adotou o trabalho remoto e Mark Zuckerberg aproveitou esta nova realidade para repensar o modelo de trabalho no Facebook.

 

Em entrevista a The Verge em maio de 2020, Zuckerberg tinha a previsão de que mais da metade da empresa poderia trabalhar de forma remota de forma permanente no futuro. O Facebook era conhecido por proporcionar um bônus (de até US $15.000) de contratação para quem morasse perto das dependências da empresa. Com essa mudança, ao proporcionar contratação remota e o home office permanente, Zuckerberg entende que terá a oportunidade de prospectar e manter talentos que não poderiam se deslocar fisicamente para um dos escritórios do Facebook, possibilitando também uma equipe com mais diversidade cultural. Outro ponto levantado por ele é que o home office permitiu experimentar antecipadamente o futuro da tecnologia e a criação produtos que permitem a presença remota, como as videochamadas e também soluções em VR (Realidade Virtual) e AR (Realidade Aumentada).

 

Ainda em 2020, a possibilidade de trabalho remoto permanente no Facebook estava atrelada a cargos sênior e com mais experiência. Em junho de 2021, em memorando enviado para os funcionários, Zuckerberg estendeu essa possibilidade para qualquer cargo em todos os níveis, desde que o trabalho possa ser realizado de maneira remota. Com o avanço da vacinação nos Estados Unidos, o Facebook pretende reabrir o escritório em outubro e funcionários sem a permissão para trabalhar de forma remota terão que ir presencialmente no escritório pelo menos metade do tempo. Não há a informação de quantos dos 60.000 mil funcionários podem trabalhar remotamente, porém, a maior parte das solicitações feitas para mudar para este modelo estão sendo aceitas pela empresa.

 

“Aprendemos no ano passado que um bom trabalho pode ser feito em qualquer lugar, e estou ainda mais otimista de que o trabalho remoto em escala é possível, especialmente porque a presença de vídeo remota e a realidade virtual continuam a melhorar”, escreveu Zuckerberg.

 

Google

 

No final de 2020, a Google distanciou a ideia sobre o trabalho remoto permanente estar sem seus planos, preparando e estruturando um modelo de trabalho híbrido. Em memorando enviado pelo CEO Sundar Pichai, os funcionários terão um escritório base da Google e precisam viver a menos de 80km desta localidade.

 

Seguindo seu plano de expansão, a Google segue investindo em novas localidades e planeja investir U $7 bilhões para construir escritórios e centros de dados. Este comportamento vai na contramão de outras empresas de tecnologia que durante a pandemia da COVID-19 cancelaram o aluguel de novos escritórios e planejam um modelo de trabalho mais remoto. Apesar disso, o CEO aposta em um modelo híbrido mais flexível.

 

“Acreditamos firmemente que estar junto pessoal, ter um senso de comunidade é super importante quando você tem que resolver problemas difíceis e criar algo novo, então não vemos isso mudando. Mas achamos que precisamos criar mais flexibilidade e mais modelos híbridos”, disse Sundar Pichai

 

Inicialmente, o plano de reabertura foi feito de maneira voluntária e os escritórios contavam com uma capacidade máxima permitida. Os funcionários que quiserem trabalhar de maneira remota permanentemente terão que aplicar formalmente um pedido, que terá duração máxima de 12 meses. Durante o teste de reabertura voluntária, 60% dos funcionários optaram por voltar ao escritório.

 

Em contrapartida a volta presencial, a Google oferecerá uma série de flexibilidades como:

 

Semana de trabalho mais flexível:

 

  • O funcionário trabalha 3 dias no escritório e 2 dias no local que preferir. Como os dias de escritórios são prioritariamente para trabalhos colaborativos, as equipes decidem quando irão. Essa flexibilização não é permitida para todos os cargos da empresa.

Mais escolhas em torno de onde você trabalha:

 

  • Mais locais para trabalhar globalmente. Os funcionários podem aplicar para recolocação em novos escritórios, desde que a posição e a função permitam esta mudança de localidade.
  • Será possível aplicar para trabalho remoto, que dependerá exclusivamente do cargo e das necessidades da equipe. Estes cargos já existiam antes da pandemia e espera-se que cresçam em número de vagas com o interesse dos funcionários.
  • O impacto destas mudanças será uma equipe composta de 60% de funcionários presenciais em alguns dias da semana, 20% trabalhando em novos escritórios e 20% trabalhando de casa.

Mais flexibilidade para sua vida:

 

  • Durante 4 semanas do ano, o funcionário poderá trabalhar fora do escritório conforme aprovação do seu superior. O objetivo é flexibilizar o trabalho durante o verão e feriados.
  • Áreas de produto e função terão horas de foco, limitando reuniões internas durante períodos em que a equipe precisa finalizar um projeto.
  • Em decorrência da pandemia da COVID-19, a Google oferece dias de folga globais para recarregar as energias dos funcionários. Essa implementação continuará acontecendo.

     

Apple

 

Em 2020, o CEO da Apple Tim Cook afirmou estar impressionado com o trabalho remoto. Naquele momento, apenas em volta de 15% dos funcionários tinham retornado ao trabalho presencial e o executivo entendeu que alguns novos hábitos de trabalho permanecerão após a pandemia acabar. Apesar dos elogios e de prever que algumas áreas de trabalho da empresa poderiam continuar de maneira remota indefinidamente, Cook entende que alguns aspectos deste modelo de trabalho trazem limitações.

O CEO entende que algumas funções funcionam muito melhor de maneira virtual, contudo, a falta da presença física entre os funcionários afeta questões que lidam com criatividade ou soluções de problemas, que muitas vezes eram discutidas nos corredores e não em salas de reuniões.

 

Com o avanço da vacinação e a queda nas restrições sanitárias, a Apple pretende retomar o trabalho no escritório em setembro de maneira híbrida. Os funcionários estarão segundas, terças e quintas no escritório, às quartas e sextas será opcional o retorno ao escritório. Além disso, através de uma permissão dos superiores, o trabalho remoto pode ocorrer durante duas semanas por ano.

 

“Por tudo que fomos capazes de alcançar enquanto muitos de nós estivemos separados, a verdade é que algo essencial estava faltando neste ano passado: um ao outro”, disse Tim Cook. “A chamada de videoconferência diminuiu a distância entre nós, com certeza, mas existem coisas que ela simplesmente não pode replicar”.

 

Por ter sido muito contrária ao trabalho remoto no passado, a decisão mais conservadora da Apple, comparada até mesmo às diretrizes da Google, não surpreende. Como forma de incentivar a volta dos funcionários de maneira segura, a empresa está oferecendo tempo livre remunerado para realizar a vacina e em caso de existência de efeitos colaterais.

 

A decisão da empresa não agradou todos os funcionários, que criaram uma carta interna em resposta às medidas propostas pelo CEO Tim Cook. Os funcionários alegam que não foram ouvidos referente às flexibilizações do trabalho remoto e que isso demonstra uma falta de alinhamento dos executivos da Apple com seus empregados. Cerca de 80 pessoas foram responsáveis pela carta e cerca de 2.800 funcionários participaram da discussão sobre novas sugestões para flexibilizações colocadas na carta. 

 

Twitter, Salesforce, Uber e Netflix

 

O CEO Jack Dorsey do Twitter comunicou aos funcionários que eles poderão trabalhar de forma definitiva em modelo home office mesmo após o fim do lockdown da COVID-19. “Abrir escritórios será nossa decisão, quando e se nossos funcionários voltarem, será deles”, conforme fala do representante do Twitter para Business Insider. As vagas, de acordo com Jack Dorsey, já foram adaptadas para terem como opção o trabalho remoto.

 

A Salesforce, empresa americana de software por demanda, segue o mesmo exemplo do Twitter e permitirá o trabalho remoto permanente. A empresa cancelou o contrato de aluguel de um novo prédio para uma expansão do escritório, uma vez que as equipes irão alternar dias remotos com o escritório, que não precisará mais de uma expansão física. As diretrizes, que a empresa está chamando de “Trabalhe de qualquer lugar”, oferecem três opções para o funcionário. A primeira é uma opção híbrida, onde os funcionários irão ao escritório duas ou três vezes na semana para tarefas que são melhor executadas presencialmente. A segunda, totalmente remota, será para funções que não precisam de contato presencial ou para pessoas que morem afastadas do escritório. A última opção será o trabalho presencial, que eles esperam que seja a menor população entre os funcionários.

 

A Uber convocou os funcionários para retornarem ao escritório por 50% do tempo. O trabalho remoto poderá seguir até 13 de setembro de 2021. No modelo híbrido proposto pela empresa, o funcionário e as equipes definirão como será dividido esse tempo: pode ser uma semana remota e uma no escritório ou dias alternados entre home office e presencial. Para manter o trabalho remoto será preciso fazer uma aplicação para a empresa. Para incentivar o retorno dos funcionários, e seguindo os protocolos de segurança, todos que atestam que estão completamente vacinados podem retornar ao escritório sem máscara e sem distanciamento social.

 

O CEO da Netflix Reed Hasting trata de maneira bastante negativa o trabalho remoto. Apesar de afirmar que as operações presenciais só voltarão quando a maior parte dos funcionários estiver vacinada, em entrevista ao Wall Street Journal, Hasting deixa claro que não vê pontos positivos no trabalho home office e pretende voltar ao escritório o mais rápido possível. 

 

A partir do posicionamento das empresas, podemos concluir que o modelo híbrido será uma nova tendência para o mercado de trabalho, sendo um importante debate para os próximos meses conforme a vacinação contra a COVID-19 avança globalmente.

* Texto produzido por Letícia Dallegrave, mestra em Comunicação Social e Redatora Publicitária.

Não deixe de ler também…

Data has a better idea
Notícias da Appus

Tecnologia como aliada para RH

O avanço tecnológico impacta diariamente o mundo e, por consequência, o trabalho e os processos do mundo corporativo. Os softwares podem ajudar em processos seletivos ou mesmo realizar cálculos de pagamentos, porém, sua verdadeira contribuição vai muito além destes pontos. As tendências tecnológicas ajudam a gerenciar pessoas, medir satisfação de colaboradores e melhorar o clima organizacional.

Leia mais »