Aprenda como lidar com pessoas difíceis no ambiente de trabalho

Quer saber mais sobre as soluções da Appus?

Um dos grandes desafios profissionais é saber lidar com as pessoas difíceis no trabalho. É comum encontrarmos, durante a nossa trajetória, indivíduos com os mais diversos tipos de temperamento, personalidade e preferências.

Com algumas dessas pessoas, temos uma aproximação natural que muitas vezes evolui para uma amizade e a convivência acaba ultrapassando os limites da empresa. Em outros casos, ocorre um total desalinhamento de valores e preferências, o que dificulta o convívio.

No entanto, é importante aprendermos a lidar com essas pessoas da melhor maneira possível para viabilizar o trabalho em equipe.

Neste post damos algumas dicas para que você possa tornar as suas relações dentro da empresa mais harmoniosas. Acompanhe!

Qual é a importância do bom relacionamento para a vida profissional?

O relacionamento interpessoal é de extrema importância para um bom fluxo de trabalho. Cada vez mais atuamos em equipes e de maneira colaborativa, dependendo uns dos outros para alcançar bons resultados.

É claro que quando estamos com amigos ou pessoas que gostamos essa convivência é mais fácil, até por que sabemos o que agrada ou desagrada. No ambiente de trabalho a realidade é outra, e podemos nos deparar com comportamentos com os quais não concordamos.

Mesmo diante desse quadro, é importante preservar o bom relacionamento. Afinal, ele é a base de um clima organizacional positivo e interfere não só na produtividade, mas na motivação. Trabalhar em um local agradável nos ajuda a chegar mais longe e a enfrentar desafios.

Como lidar com pessoas difíceis no trabalho?

Algumas atitudes podem ser adotadas para facilitar a convivência com pessoas consideradas difíceis ou que têm uma personalidade que conflita com a sua. Selecionamos as principais delas a seguir.

Entender os motivos que levam a tal comportamento

Ter empatia é colocar-se no lugar do outro. Muitas vezes julgamos determinados comportamentos e atitudes, mas ao conhecer melhor a pessoa e suas experiências de vida, passamos a compreender o que a leva a agir de determinada maneira.

Você pode aplicar esse mesmo pensamento aos relacionamentos corporativos. Talvez o seu colega esteja com um comportamento explosivo graças ao estresse provocado pelo alto volume de trabalho.

Procure compreender a pessoa. Se o comportamento estiver incomodando muito ou sendo prejudicial, tente conversar em um momento mais tranquilo.

Explicar as suas dificuldades

A empatia não só pode ser praticada como despertada. Ao enfrentar uma questão que atrapalha o andamento de determinado projeto e pode prejudicar a convivência com o restante da equipe, é interessante abrir essas questões para que as pessoas compreendam as suas dificuldades e possam até mesmo auxiliar na busca por soluções.

Procure trabalhar a situação para que o outro possa entender as diferenças e ter uma compreensão maior dos entraves.

Ter autocontrole

Em algumas situações mais complicadas, podemos sentir que chegamos ao nosso limite, mas ter autocontrole é essencial para mantermos a situação dentro de parâmetros aceitáveis.

Muitas vezes, em uma situação tensa podemos dizer coisas que venham a gerar grandes prejuízos. O quadro fica mais complexo quando a pessoa em questão é o seu chefe.

Espere passar o momento mais complicado e depois, com calma, procure mostrar como se sentiu e colaborar para que essas relações sejam melhoradas.

Saber respeitar o espaço do outro

Se você percebeu que um colega está estranho, não fique fazendo várias perguntas ou tentando entender o que aconteceu a todo custo. Respeite o espaço dele e pense que todos temos dias ruins. Deixe a pessoa à vontade para lhe procurar se precisar conversar.

Lembre-se também que o que você gosta nem sempre agrada a outra pessoa. Tome cuidado com perfumes fortes, música alta e outras coisas que possam invadir o espaço alheio.

Agir racionalmente

Procure exercer a paciência, afinal, nem sempre é possível trocar de emprego ou de equipe. Para que a pessoa assuma o papel de um colega difícil, ela precisa de coadjuvantes em quem possa descarregar suas atitudes negativas.

Ignorar nem sempre é o caminho mais adequado, pois pode provocar mais irritação e piorar a situação. Procure sempre manter a compostura e avaliar tudo de maneira fria e racional.

Evitar comentários

Evite alimentar uma rede de intrigas e fofocas com comentários sobre determinado comportamento ou humor. Esse tipo de diálogo pode até aliviar a irritação ou a frustração naquele momento, mas começa a criar um ambiente extremamente tóxico.

Locais em que os comentários paralelos superam o profissionalismo tendem a fracassar, por mais competentes que sejam os profissionais que o ocupam.

Concentrar-se nos aspectos positivos

Certamente, todos os seus colegas têm qualidades que foram reconhecidas no momento da contratação. Procure se concentrar nessas características — pode ser uma inteligência mais aguçada, uma competência técnica que você não tem, entre outras.

Focar nos aspectos positivos vai naturalmente melhorar a relação com cada um do seu convívio, mudando a sua visão sobre as pessoas e, consequentemente, fazendo com que você as trate com mais simpatia e generosidade.

Fazer uma autoanálise

Você já parou para avaliar seu próprio comportamento? Tente por um momento não acusar o outro, mas olhar para si e reconhecer não só as qualidades, como os defeitos e as atitudes que podem atrapalhar a convivência em grupo.

Ninguém tem o poder de mudar o outro, mas todos podem observar a própria postura diante dos problemas e até mesmo melhorar a relação com uma pessoa mais ríspida ou difícil de conviver a partir de um novo comportamento.

Ter um diálogo claro

As pessoas normalmente não têm consciência de que seus hábitos podem ser incômodos ou atrapalhar os demais presentes na sala, como mascar chiclete ou falar alto ao telefone. Nesses casos, é interessante conversar com a pessoa e explicar como essa atitude atrapalha o bem-estar do restante do grupo, mas de maneira suave e sem acusações. Uma atitude afetuosa certamente vai gerar melhores resultados e manter a harmonia da equipe.

Saber como lidar com pessoas difíceis no trabalho é sinal de inteligência emocional e pode levar você a patamares muito mais altos na sua carreira. Lembre-se que todos os membros de uma equipe são importantes e devem ser valorizados.

A qualidade do relacionamento impacta diretamente no employer branding de uma organização, que é a reputação como marca empregadora. Se você quer saber mais sobre o assunto, confira o artigo Employer branding: o que é e como pode ser aplicado pelo RH?”

Este texto foi produzido por Lígia Gama, em parceria com a Rock Content.
Meme Appus News

QUE TAL ASSINAR a nossa newsletter?

Não deixe de ler também…

Gestão de Pessoas

10 boas práticas para otimizar o processo de recrutamento e seleção

A aplicação de boas técnicas de recrutamento e seleção levam a contratações muito mais acertadas, capazes de oferecer o trabalho que a empresa precisa. Ter sucesso na hora de escolher os próximos funcionários é um verdadeiro diferencial, que garante diversos benefícios, como redução de custos e maior produtividade. Existem boas práticas que o RH pode

LEIA MAIS »

© 2014 – 2019 | Appus HR Analytics – www.appus.com – Todos os direitos reservados.