Melhores práticas para retenção de talentos na sua empresa

Quer saber mais sobre as soluções da Appus?

Imagine que você encontrou um ótimo talento na área de tecnologia, recém-graduado e com um currículo invejável. É aquela hora em que a mente já começa e pensar em que posições ele poderia atuar, não é mesmo?

O processo de contratação dá certo, ele se integra à empresa, mas, após 3 meses, o talento diz que sairá. E aí, como agir para evitar que situações tão chatas como essa aconteçam?

É disso que falaremos neste post! Por meio de práticas diárias na vivência no setor de Recursos Humanos, você descobrirá como ter uma boa retenção de talentos.

Vamos explicar o que significa a retenção de talentos em si, quais são os seus benefícios e a importância que ela tem no RH. Além disso, você descobrirá o que é turnover e como ele pode impactar nos custos da sua empresa. 

Pronto para aprender?

O que é retenção de talentos?

Para que o termo seja de simples compreensão, podemos dizer que a retenção de talentos é toda a forma de manter profissionais de alto nível em uma determinada empresa.

Isso significa que deve haver alguma forma de medir o desempenho de todos e de utilizar mecanismos que mantenham essas pessoas onde estão.

Hoje, as maiores empresas do mundo já têm uma estruturação que busca assegurar a retenção de talentos. Um caso que podemos citar é o da Credit Suisse, no qual 73% dos empregados afirmam que têm tudo de que precisam para trabalhar com eficiência.

Isso mostra que eles conhecem onde estão e que se sentem seguros— tal situação permite que haja uma retenção maior de grandes talentos, já que as condições necessárias para a atuação desses profissionais estão sendo supridas.

No entanto, para que isso aconteça, não adianta pagar altos salários ou encher de elogios a caixa de e-mail do funcionário. Para que seja algo eficiente, é muito importante que você entenda o que é um talento, primeiramente.

Uma das formas de fazer isso é por meio da regra de Jack Welch. Nela, existem 4 tipos diferentes de empregados — esses tipos são baseados por valor e produtividade. Para Welch, considera-se um talento o empregado que agrega alta performance aos valores que a empresa segue.

Agora que você sabe o que é retenção de talentos, vamos entender por que ela é necessária para a sua companhia!

Qual a importância de haver uma retenção de talentos?

Existem inúmeros benefícios na hora de investir em reter talentos — isso tanto para a empresa como para os indivíduos que fazem parte dela.

Quando há uma retenção de talentos efetiva, a organização tende a trabalhar em um nível mais elevado de qualidade, já que o time ali presente é o melhor possível para aquela função determinada.

Isso funciona também como uma forma de potencializar suas operações frente à concorrência. Ter os melhores profissionais a seu dispor representará uma vantagem competitiva, algo sempre perseguido por companhias de todos os tamanhos.

Além disso, funcionários que são tratados como talentos tendem a se sentir mais valorizados, produzindo mais e em melhor qualidade.

Para que isso aconteça, alguns mecanismos, como horários flexíveis e home office, podem funcionar como impulsionadores da autoestima e do bem-estar do colaborador.

Se ele se sente valorizado ao ponto de obter vantagens no seu dia a dia de produção, a tendência é a de que ele faça suas atividades com mais satisfação. Tal reação é boa tanto para ele próprio como para os colegas, que terão alguém agradável ao seu lado, melhorando o clima geral.

Quais os benefícios da retenção de talentos?

Sabendo que é importante haver uma retenção de talentos, você deve estar se perguntando de que forma ela vai melhorar as operações de sua empresa. Acima, citamos a importância de sua aplicação e, agora, vamos ver quais os benefícios práticos que sua adoção traz.

Economia para a empresa

Uma das formas de perder dinheiro, para a sua companhia, é por meio do turnover (rotatividade dos empregados). Vamos explicar mais à frente. O que você pode saber agora é que ele está ligado ao fato de reter talentos. Cada vez que há o desligamento de um funcionário, existem custos envolvidos.

No entanto, tais valores podem ser ainda maiores se o empregado estava na empresa há muito tempo. Além disso, caso seja necessário contratar outra pessoa para aquela função, os custos ainda aumentarão. Isso mostra como reter talentos é importante para os números da instituição.

Evitamento da perda de capital intelectual

Se a pessoa já atua na companhia há algum tempo, ela, com certeza, conhece os processos da empresa e suas nuances mais do que um novo colaborador. Sendo assim, manter indivíduos que já estão nas operações garante que o capital intelectual não seja perdido.

Se a pessoa for um empregado com boas soft skills, existe um motivo ainda maior para mantê-lo no quadro! Esses profissionais são difíceis de encontrar, sendo necessário investir em sua manutenção.

Mais fluidez na tomada de decisão

Cada vez mais, as empresas têm adotado equipes enxutas e com menos membros em sua composição. Seja com o uso da tecnologia, seja com a aplicação de ferramentas, como o Scrum, o ambiente profissional de hoje tende a ter equipes autogeridas. E isso torna-se um problema com a falta de retenção de talentos.

Com times pequenos, existe um número também menor de profissionais que dominam aquilo que fazem, já que a ideia é centralizar o conhecimento em poucas pessoas. Quando você perde um talento, perde-se o time do processo até que haja uma pessoa com aquele mesmo conhecimento na equipe.

Até que um novo profissional seja encontrado, treinado e absorvido, leva-se um tempo, que vai impactar diretamente em como a empresa toma decisões, sejam elas pequenas, sejam elas importantíssimas. E isso impacta diretamente nos ganhos.

Moral no mercado

Hoje, as organizações estão sendo seguidas de perto pelos colaboradores. Alguns sites, como o LoveMondays, coletam informações sobre salários e ambiente das empresas. Isso acaba se tornando um banco de dados muito utilizado por pessoas que querem encontrar um emprego.

Se você retém talentos, as chances de ter boas avaliações em sites como esses são maiores, o que é bom para a companhia. Ter uma reputação ruim na Internet é algo que incomoda muito, principalmente no meio corporativo.

Qual o papel do RH na retenção de talentos?

Sendo o setor que é responsável pelo fator humano de cada empresa, o RH tem uma importância decisiva na questão da retenção de talentos. Isso porque é a área que lida com tudo o que envolve as pessoas — desde suas práticas até o desempenho.

Por isso, é de suma importância que a área de Recursos Humanos seja guiada com relação à retenção de talentos. Isso envolve, até mesmo, os processos de recrutamento e seleção. Eles devem ser uma forma de filtrar quem pode realmente ser um empregado-chave para a instituição.

Depois que o possível talento é contratado, o RH precisa continuar dando o suporte necessário para que seu desenvolvimento aconteça. Isso pode se dar por meio de:

  • treinamento e desenvolvimento;
  • políticas de remuneração atualizadas;
  • benefícios adequados;
  • métricas de desempenho;
  • etc.

Assim, será possível dar as ferramentas para que esse profissional evolua, permitindo também que seu passo a passo seja medido. A melhor forma de saber se isso está funcionando é por meio de uma medição da sua atuação. Falaremos sobre isso mais à frente!

No entanto, antes, vamos explicar aquele termo que citamos há pouco — o medonho turnover!

O que é turnover e qual seu custo para a empresa?

Nem precisamos fazer as contas para saber que reter um funcionário é mais econômico do que contratar um novo. Isso porque uma nova pessoa agrega inúmeros gastos, como:

  • contratação: gastos com processo seletivo, divulgação de vagas, entrevistas e feedbacks;
  • onboarding: gastos com o funcionário que foi contratado, mas precisa de treinamento para as ferramentas utilizadas e para conhecer a política da instituição;
  • custo emocional: leva-se um tempo até que a equipe esteja acostumada com um novo elemento, ainda mais se sua curva de aprendizado for maior. Isso gera impacto direto na performance do time.

Esses são apenas alguns dos pontos que podemos citar. Isso mostra que a rotatividade é algo que precisa ser combatido, e a retenção de talentos é a chave para o problema.

Porém, além de saber o que é turnover, é válido que você conheça quais são alguns dos motivos que levam as pessoas a saírem de suas posições. Vejamos alguns deles!

Quais são os motivos para o turnover acontecer?

Na maioria dos casos, pessoas se desligam de seus empregos por não estarem se sentindo motivadas ou valorizadas o bastante para continuarem. São indivíduos que acreditam ter um potencial pouco aproveitado, o que é ruim para a sua carreira.

Outro grande motivo para que o turnover aconteça é a insatisfação do trabalhador com sua remuneração e benefícios. Ele pode achá-los muito baixos ou incompatíveis com as necessidades que tem.

O que também pode acontecer são casos pontuais. Nessas horas, é necessário um olhar crítico por parte do RH. Existem pessoas em condições únicas, precisando de uma assessoria especial. Alguns dos exemplos que podemos citar são:

  • um estudante universitário que não consegue conciliar o tempo de estudo e o emprego e vive com sono no ambiente de trabalho;
  • um pai de família que mora longe da empresa e sempre se atrasa, devido ao transporte público, que não funciona;
  • um jovem que mora no interior e gasta muito com o transporte diário até o trabalho.

Todos esses são casos reais, e muitos departamentos de RH pelo país já os vivenciaram em alguma ocasião. Imagine se isso ocorreu com grandes talentos. Por mais que a empresa tenha políticas específicas de benefícios e diretrizes, é possível que elas sejam adaptadas para determinados casos.

Quando se pensa em retenção de talentos, é necessário criar uma forma de analisar cada caso e ter ações pontuais se for necessário. 

No caso do jovem que gasta muito, pode ser que ele só precise de um subsídio maior para continuar na sua empresa.

No entanto, para que ações como essas sejam tomadas, é necessário ter certeza de que aquele funcionário é talento. Vamos ver como isso pode ser definido no próximo tópico!

Quais são as métricas de RH para a retenção de talentos?

Não basta seguir instintos quando se fala de reter talentos. Para que seja algo efetivamente funcional, é necessário estabelecer métricas que possam aferir o quão bom aquele empregado é. 

Isso pode ser feito por meio de tecnologias, como o Big Data, ou por meio de pequenas inferências feitas pela equipe de RH. Vamos ver abaixo algumas das métricas que podem ser estabelecidas:

Indicadores de falta

Talvez esse seja um dos mais fáceis e lógicos. Empregados que têm muitas abstenções a cada mês devem ser alertados. Além de ser algo que prejudica seu desempenho pessoal, isso também pode impactar na eficiência do time e nos números da empresa.

Indicadores de eficiência e capacidade

Para que uma pessoa seja considerada um talento, ela deve produzir bem e ter capacidades acuradas. Para que isso aconteça, estabeleça, com cada gestor, métricas de desempenho pessoal.

Procure entender como esse funcionário deve realizar entregas e crie uma forma de metrificar isso. Entenda o que é um dia produtivo para ele para que o cálculo seja justo. De nada adianta esperar que a pessoa cumpra marcos diários se não é assim que a sua área funciona.

Indicadores de treinamento

A pessoa avaliada costuma passar por treinamentos e melhorias de habilidades? É válido ter essa informação para ver se o empregado procura evoluir suas aptidões. Para isso, é necessário, mais uma vez, entender o que é plausível para o seu setor.

Se for um programador, é necessário analisar, com seu gestor, de que forma são necessários novos treinamentos. À medida que essa informação for alcançada, será possível avaliar o comprometimento que o empregado tem com sua própria carreira.

Indicadores de cultura organizacional

Procure analisar de que forma esse empregado segue as diretrizes estabelecidas pela empresa. Ele respeita os valores apregoados pela companhia na qual trabalha? Reter talentos que não se encaixem nas políticas da instituição pode ser um problema no futuro!

Ademais, é interessante que essas pessoas estejam bem encaixadas nas suas equipes — não apenas no aspecto técnico de suas funções, mas social também. São funcionários que se dão bem com a maioria dos colegas? Eles costumam dar problemas? Tudo isso precisa ser levado em conta.

Indicadores de liderança

Por mais que o cargo da pessoa não seja efetivamente para uma posição de líder, é sempre importante que essa habilidade seja percebida. Isso porque a tendência natural é de que as pessoas cresçam a ponto de se tornaram uma liderança no auge de suas carreiras.

E também porque pessoas com traços de líder costumam cuidar de suas responsabilidades como se fossem algo pessoal. Isso traz um envolvimento maior com o negócio e uma certeza grande de que os resultados serão alcançados.

Quais são as melhores práticas para retenção de talentos?

Agora que você já sabe de que forma a retenção de talentos é importante para o negócio e o que ela afeta, vamos ver quais são as melhores práticas para que ela seja feita da forma mais assertiva possível!

Melhorando as comunicações internas

Por mais que não pareça um ponto diretamente ligado, ele faz muita diferença na retenção. Isso porque uma comunicação errônea e confusa pode gerar gargalos entre os setores. Sabe aquela situação de “telefone sem fio”? Isso pode ser um desmotivador para muita gente.

Dessa forma, acaba sendo necessário um sistema que efetive toda e qualquer comunicação na empresa. Alguns softwares, como o Slack ou o Microsoft Teams, podem ser do que sua organização precisa para isso!

Criando uma cultura de feedback

Além de ter uma comunicação efetiva, é interessante que esse canal seja utilizado. Para isso, uma ideia que pode ser desenvolvida é a da cultura de feedbacks. Isso consiste em haver um hábito em constante desenvolvimento de coleta das opiniões de cada funcionário.

Dessa forma, é possível saber como as pessoas estão se sentindo de acordo com a tomada de decisões por parte da empresa. Além disso, é possível saber, de tempos em tempos, quais sensações elas estão vivenciando, sendo possível mudar o que for relevante para a retenção dos talentos.

Esse feedback não é apenas para saber como os empregados se sentem, mas deve também partir dos gestores de cada área.

Eles devem comunicar a cada funcionário como estão enxergando o trabalho deles. Isso é válido para que o próprio empregado possa se situar e saber no que precisa se desenvolver mais.

Com essa informação em mãos, o time de RH tem como aumentar as chances de reter talentos, já que ele sabe como o funcionário e o seu gestor se sentem e o que pode ser feito para melhorar qualquer situação atípica.

Criando planos de carreira

Além de ouvir os empregados, é muito importante permitir que eles tenham uma visão de plano de carreira à sua frente. Talentos geralmente têm uma percepção apurada do futuro. Com isso, eles buscam fazer partes de projetos que lhe permitam ver os próximos passos planejados.

Quando sua empresa permite que os empregados tenham um plano de carreira definido ou, pelo menos, pré-desenvolvido, isso dá uma garantia maior ao talento. Assim, ele saberá que existem chances reais de crescer na carreira atuando na organização.

Valorizando o colaborador

Todo mundo gosta de ter suas habilidades reconhecidas! E isso não é diferente para grandes talentos. O desafio é saber como deve ser feito esse reconhecimento. Por isso, é interessante entender quais são os seus gatilhos de satisfação.

Algumas pessoas gostam de receber mais responsabilidades, outras acham interessante quando seu bom trabalho é citado e referenciado. Procure entender quais mecanismos fazem esse indivíduo se sentir mais motivado e invista neles.

Investindo no ambiente de trabalho

Trabalhar em um local agradável é algo até que simples de se conseguir e que pode fazer grandes mudanças na vida do empregado.

Comece investindo em ações sociais que permitam a convivência das pessoas em torno de algo em comum (doação de sangue, festa de aniversário, atividades recreativas etc).

Além disso, procure personalizar os materiais da empresa com o nome de cada pessoa. Canetas, agenda e uma plaquinha com o nome na mesa já podem ser uma ótima forma de fazer o colaborador se sentir em casa.

Remunerando mais

Dinheiro é um tópico complexo, mas vale a pena ser citado! Deve-se investir na carreira daquela pessoa que chama a atenção porque isso é uma das formas de reter talentos. Nem precisa ser algo estratosférico — basta que a pessoa se sinta valorizada e bem recompensada que o resultado virá.

Investir na retenção de talentos acaba sendo um benefício de longo prazo para a instituição.

Oportunizando o crescimento

Planos de carreira são interessantes, mas nem sempre eles podem ser feitos, devido à sua complexidade ou a outros limitadores. Uma forma de driblar esses problemas é dando mais oportunidades para que a pessoa cresça em sua carreira.

Participação em cursos e eventos, a chance de galgar espaço em outras funções e o aprendizado contínuo podem ser formas de o empregado sair da mesmice e se sentir em constante evolução.

Esse é um trabalho em que o RH pode ajudar bastante, mostrando ao colaborador o seu crescimento ao longo do tempo.

Nesse ponto, as métricas que citamos são muito valiosas, já que podem formar gráficos e indicadores para o trabalhador entender como seu desempenho está acontecendo.

Sendo flexível

Entender as reivindicações do colaborador pode ser o necessário para mantê-lo na equipe. Sabendo disso, seja o mais flexível possível com os talentos que aparecerem em seu caminho. Veja do que é possível abrir mão para que eles se mantenham no quadro de funcionários.

Às vezes, é melhor perder um pouco hoje e ter a garantia de que o talento estará com vocês do que perdê-lo para a concorrência por causa de uma falta de abertura maior.

Gostou do que leu? Buscamos ajudá-lo a conseguir fazer uma retenção de talentos efetiva nos negócios de sua empresa. Se você aprendeu conosco, compartilhe este post nas redes sociais! Pode ser que existam outras pessoas precisando saber disso também! Vamos lá!

Meme Appus News

QUE TAL ASSINAR a nossa newsletter?

Não deixe de ler também…

© 2014 – 2018 | Appus HR Analytics – www.appus.com – Todos os direitos reservados.