Em um mundo híbrido, sua tecnologia define a experiência do funcionário

Compartilhe este artigo na sua rede

Voiced by Amazon Polly

Uma das grandes questões que muitos líderes estão enfrentando agora é: como podemos nos comunicar, colaborar e nos conectar de forma significativa em um ambiente híbrido (ou remoto)? Já trouxemos aqui alguns artigos sobre como a pandemia afetou o modo em que nos relacionamos com o trabalho, e passados quase 2 anos de pandemia seguimos enfrentando desafios para nos adaptar a uma rotina que mudou repentinamente.

À medida que as empresas competem por talentos e se adaptam a novas formas de trabalhar, a tecnologia que usam se tornou a característica dominante da experiência do funcionário – um lugar onde muitas empresas estão ficando aquém. Essa é a percepção de Brad Anderson e Seth Patton em matéria para a HBR.

Na última meia década, executivos e líderes lançaram a frase “toda empresa é uma empresa de tecnologia”. Em 2022, essa declaração chega ainda mais perto de casa, à medida que a experiência digital do funcionário se torna tão importante quanto a física; com a pandemia colocando mais pressão sobre aspectos do trabalho como bem-estar, cultura e treinamento, em um momento em que a competição por talentos é acirrada.

No ano passado, a Great Resignation entrou em foco e colocou a experiência do funcionário no topo de muitas prioridades corporativas este ano. Os colaboradores estão procurando o emprego certo na empresa certa, sem pressa para voltar. Compare isso com mais de 10 milhões de vagas de emprego, e fica claro que as empresas precisam colocar mais ênfase na cultura e na experiência dos funcionários.

Uma das grandes questões que muitos líderes estão enfrentando agora é: como podemos nos comunicar, colaborar e nos conectar de forma significativa em um ambiente híbrido (ou remoto)?

Essas novas necessidades estão impulsionando a criação de novas categorias de tecnologia para apoiar os trabalhadores, que vão além da videochamada. E embora a tecnologia não seja a única solução, ela terá um papel importante a desempenhar à medida que as empresas buscam novas maneiras de vencer a competição por talentos e criar um local de trabalho onde o bem-estar e a cultura prosperem.

Essa transição tecnológica exigirá uma mudança de mentalidade para os líderes de TI e de negócios – para considerar como a tecnologia existente e emergente pode ser usada para reconstruir a cultura em um mundo remoto e híbrido.

 

A tecnologia define a experiência do funcionário

À medida que o trabalho híbrido se torna mais comum e os funcionários se tornam menos centralizados fisicamente, a ênfase tradicional colocada nas vantagens do escritório está diminuindo rapidamente. Essa dinâmica está remodelando a forma como as empresas operam. Em pesquisas em suas empresas (Microsoft e Qualtrics), os autores descobriram que 46% da força de trabalho está se mudando porque agora eles podem trabalhar remotamente. E os funcionários se sentem tão fortemente sobre o trabalho remoto que 35% dos funcionários teriam maior probabilidade de procurar um novo emprego se fossem obrigados a retornar ao escritório em tempo integral – pressionando ainda mais os empregadores a se adaptarem adequadamente.

À medida que essa tendência persiste, as experiências tecnológicas que os empregadores fornecem definirão mais ou menos a experiência do funcionário – a tecnologia e as ferramentas do local de trabalho são, para todos os efeitos, o novo local de trabalho. Como tal, eles estão se tornando fundamentais para atrair e reter novos talentos, promover a cultura do local de trabalho, criar produtividade e muito mais.

No entanto, muitos funcionários estão desapontados com a tecnologia atual e as experiências de trabalho remoto. A pesquisa da Qualtrics descobriu que apenas 30% dos funcionários afirmam que sua experiência com a tecnologia da empresa excede suas expectativas. A Microsoft descobriu que depois de um ano trabalhando em casa, 42% dos funcionários dizem que não têm material de escritório essencial em casa e 1 em cada 10 não tem uma conexão de internet adequada para fazer seu trabalho.

Como os funcionários se comunicam, colaboram e se conectam são qualidades fundamentais da experiência do funcionário, e é fundamental que os empregadores acertem quando se trata de como facilitam essas interações com a tecnologia. Os funcionários são 230% mais engajados e 85% mais propensos a permanecer além de três anos em seus empregos se sentirem que têm a tecnologia que os apoia no trabalho. Há uma série de benefícios derivados da implementação da tecnologia certa no local de trabalho, incluindo a promoção de uma cultura de inclusão, permitindo que as organizações se adaptem e retenham os melhores talentos.

 

Então, por onde os empregadores devem começar sua jornada para melhorar as experiências no local de trabalho digital?

 

Entenda as lacunas da experiência

Dados de experiência – medir e entender como os funcionários se sentem sobre uma variedade de tópicos – são essenciais para construir um local de trabalho produtivo e atraente nesta nova era. Ao combinar dados operacionais protegidos pela privacidade, como tempo gasto em reuniões por semana ou número de mensagens enviadas, com dados de experiência, os empregadores podem entender melhor o escopo completo da experiência do funcionário para tomar decisões informadas sobre como melhorar a experiência geral no local de trabalho. Essa abordagem também se aplica a experiências digitais.

O primeiro passo é entender o que está afetando a produtividade e a colaboração dos funcionários.

Os empregadores devem começar perguntando aos funcionários se eles têm as ferramentas e a tecnologia certas para fazer seu trabalho, especialmente em um ambiente de trabalho híbrido ou remoto. Nunca presuma. O Índice de Tendências de Trabalho da Microsoft mostrou que mais de 46% dos funcionários dizem que suas empresas não os ajudam com despesas de trabalho remoto – o que deve ser um passo fundamental para ajudar os funcionários a serem produtivos.

Os líderes de TI devem colaborar com o RH em impulsos regulares de sentimento dos funcionários que são conduzidos pelo menos trimestralmente. Adicione perguntas a esses pulsos para perguntar o que as pessoas pensam sobre as ferramentas e o software que usam para fazer seu trabalho de forma eficaz e que outra tecnologia pode ajudá-las a serem mais produtivas, seja em casa ou no escritório. Depois que os dados da experiência forem analisados, pode existir oportunidades para modificar recursos ou processos existentes ou investir em novos que ajudem equipes diferentes a se sentirem mais conectadas e engajadas.

Além de garantir que os funcionários tenham as ferramentas e a tecnologia certas, também é importante que as empresas entendam se os funcionários correm o risco de fadiga ou esgotamento das reuniões virtuais. Uma plataforma de experiência do funcionário pode ser usada nesse cenário para revelar e analisar dados operacionais e de experiência agregados para ajudar os líderes a incentivar hábitos de trabalho saudáveis e incentivar os funcionários a tomarem medidas como incorporar mais tempo de foco ao longo da semana de trabalho.

 

Agir

Todos os funcionários têm insights e feedback valiosos para compartilhar que podem melhorar a experiência coletiva no local de trabalho, por isso, é fundamental que os líderes olhem para o quadro completo em vez de tomar decisões em um silo.

Os funcionários querem saber que seu feedback é valorizado e considerado ativamente, e eles percebem quando os empregadores estão “falando o que falar”, mas não “andando a pé”. Portanto, uma vez que os empregadores entendam as oportunidades de melhorar as experiências digitais, é fundamental que eles também tomem medidas para fechar quaisquer lacunas. Além disso, têm de ser transparentes quanto às prioridades e ao progresso ao longo do caminho. Juntas, a comunicação e a transparência criam um ciclo de feedback positivo no futuro.

Para conseguir isso, considere aproveitar uma plataforma de experiência do funcionário que se integre perfeitamente às ferramentas existentes para reimaginar digitalmente a cultura da empresa – criando conexões, revelando conhecimento e insights, capturando feedback e fornecendo recomendações (e sugestões para agir) – tudo isso nos funcionários fluxo natural de trabalho. As plataformas de experiência do funcionário, embora não sejam a única resposta, desempenham um papel vital na comunicação da cultura em toda a organização, aumentando o acesso ao aprendizado e apoiando o bem-estar dos funcionários.

É importante reconhecer que quaisquer mudanças feitas provavelmente não serão permanentes. Como a pandemia nos mostrou muitas vezes, a mudança é fluida e a flexibilidade é fundamental. Os empregadores devem continuar a ouvir o que seus funcionários querem e precisam – o que está funcionando e o que não está – e ajustar de acordo.

 

Mantenha a porta aberta

A tecnologia que usamos muda com frequência, por isso é fundamental que os empregadores acompanhem o ritmo, oferecendo aos funcionários um fórum para fornecer feedback, entendendo continuamente como eles estão se envolvendo com as ferramentas oferecidas a eles e onde fazer melhorias.

Ao mostrar aos funcionários que os líderes seguem constantemente as oportunidades de melhorar suas experiências no local de trabalho digital, os empregadores se destacam como um ótimo lugar para trabalhar em meio à guerra por talentos, melhorando assim os esforços de recrutamento e retenção.

Se a pandemia nos lembrou de alguma coisa, é que o futuro é realmente incerto. Mas, ao seguir os dados, ouvir nossos funcionários e clientes e incorporar flexibilidade em tudo o que fazemos, acreditamos que podemos construir um mundo de trabalho melhor do que qualquer outro anterior.

Manter uma cultura ativa de avaliação de desempenho e pesquisa de pulso pode ser ponto fundamental para descobrir se os seus colaboradores têm as ferramentas tecnológicas necessárias para performar bem no trabalho híbrido.  A Appus tem a ferramenta certa para te ajudar. Entre em contato para saber mais.

Não deixe de ler também…

O Guia Definitivo de People Analytics
People Analytics

O que é People Analytics?

A presença da análise de dados na área de gestão de pessoas se consolida a cada ano. Grandes corporações passaram a investir em soluções tecnológicas e obter avanços na performance dos colaboradores e nos resultados das empresas, mas muitos ainda desconhecem a definição e o que é possível esperar de People Analytics.  O que é

Leia mais »