Como ajudar a equipe a se reconectar presencialmente?

Compartilhe este artigo na sua rede

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pocket
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Voiced by Amazon Polly

Photo by JESHOOTS.COM on Unsplash

A volta para o escritório em tempo integral ou através do sistema híbrido pode ser um processo difícil e complicado na sua empresa. Já falamos um pouco sobre como preparar a equipe para o retorno presencial, mas, passados alguns meses desse retorno muitas empresas estão enfrentando um novo desafio: como as pessoas estão se sentindo com essa volta a o escritório?

Um relato que vem ganhando muita força é sobre a baixa energia e o cansaço ocasionados pela volta das interações pessoais. Enquanto muitos funcionários podem estar ansiosos com essa volta, outras pessoas podem estar se sentindo ansiosas com a quantidade de novas interações sociais, com pessoas antigas e também em conhecer pessoas novas que eles só tinham interações virtuais. Ou mesmo ser uma dessas pessoas contratadas na pandemia e estar pela primeira vez conhecendo toda a equipe de uma vez só.

Poderemos passar, novamente, por um período de ajuste, onde algumas pessoas vão tirar de letra o processo e outras vão precisar de uma motivação extra. É importante, nesse momento, ter bastante empatia por cada colaborador, que pode ter vivido um período diferente durante a pandemia e não se sentir pronto para um aumento tão brusco no nível de estímulo social que o trabalho presencial exige. Isso pode acarretar em processos mais lentos ou tarefas que sejam mais difíceis de executar. 

De acordo com Edward S. Brodkin e Ashley A. Pallathra, pesquisadores de psicologia, é preciso voltar ao básico da conexão humana para reiniciar nossas relações presenciais. Segundo os especialistas, precisamos explorar e entender uma habilidade social que é acionada quando interagimos socialmente: a sintonia. É a capacidade de estar “em sintonia” e “em sincronia” com seus próprios sentimentos e com os sentimentos dos outros ao longo das voltas e reviravoltas às vezes imprevisíveis de uma interação. É uma habilidade útil em todas as relações pessoais, não somente as de trabalho. “A sintonia não deve ser vista como simplesmente promover uma conexão emocional sensível com os outros, mas como um poder único – um poder que nos permite perceber as comunicações dos outros, conectar e ter nossa mensagem compreendida e gerenciar conflitos”.

Eles sugerem quatro etapas para ajudar os profissionais a gerenciar os sentimentos que surgirão com o retorno ao trabalho presencial. Entender esses sentimentos é o primeiro passo para uma comunicação mais eficaz, que aumenta as chances de ouvir e entender o que os outros estão tentando comunicar e vice-versa. As etapas também auxiliam na capacidade de ficar em sincronia com outras pessoas, principalmente ao lidar com conversas difíceis. 

 

Reserve um tempo para preparar seu sistema nervoso.

Pouco antes do início da próxima reunião, faça uma pausa por um momento, incline o queixo para baixo e sinta como se sua cabeça estivesse suavemente suspensa de cima, o que deve lhe dar uma sensação de alongamento suave do pescoço. Relaxe os ombros para baixo. Sinta sua barriga se expandir com a respiração e relaxe-a de volta com a expiração. Sintonize seu ambiente. Essas etapas podem acalmar seu sistema nervoso e fazer você se sentir mais fundamentado e centrado no momento presente. Isso o ajudará a dar atenção total à outra pessoa, o que é um verdadeiro presente em nosso mundo de constantes distrações digitais.

Muitas vezes, tomamos esses passos antes de entrar em uma reunião de alto risco, cultivando um estado de “consciência relaxada”, o que nos faz sentir mais capazes de nos envolver com a outra pessoa e menos apanhados em nossas próprias preocupações e tensões. Idealmente, tente praticar essas etapas por conta própria diariamente. 

 

Ouça a outra pessoa — e você mesmo.

Preste atenção nas dicas da outra pessoa. Por pelo menos um minuto ou dois, tente pensar no que eles estão dizendo e expressando como a coisa mais importante para você. Ao ouvi-los, verifique consigo mesmo ocasionalmente, para estar ciente de seus próprios sentimentos, variando de emoções a sensações físicas. Se você sentir tensão em si mesmo, volte para o passo anterior: deixe seus ombros caírem e relaxem e respire com atenção. Em seguida, volte sua atenção para a outra pessoa.

Ouvir bem pode ser surpreendentemente desafiador, especialmente quando você está tenso ou preso em seus próprios pensamentos e distrações. Quando você pratica essas etapas regularmente, no entanto, você será capaz de obter clareza e ouvir o que seu chefe ou colegas de trabalho estão realmente dizendo a você, em vez de entendê-los mal devido à ansiedade sobre o que eles podem dizer ou preocupação com os resultados da conversa.

 

Pratique empatia.

Tente considerar qual seria a experiência ou a perspectiva da outra pessoa. Todas as nossas experiências vividas diferem de alguma forma, então seja tolerante com a possibilidade de você ter perspectivas diferentes. Considere quais barreiras você pode enfrentar ao tentar entender a outra pessoa, como suposições que você pode estar fazendo sobre ela, o que você precisa dela ou da sua própria reatividade.

Por outro lado, talvez seus colegas estejam navegando silenciosamente em desafios relacionados à pandemia que são semelhantes às suas próprias lutas. Considere essas explicações alternativas ou invisíveis quando você estiver tendo problemas para entender alguém. Cultivar um nível de compaixão focada em si mesmo e no outro pode ajudar a lidar com conflitos ou desentendimentos de forma mais graciosa.

 

Continue expressando interesse.

Embora nossa cultura nos incentive a ser assertivos e impulsionar nossa própria agenda, a comunicação costuma ser mais eficaz quando começamos conhecendo a outra pessoa, considerando onde ela está mental e emocionalmente. Você pode deixar a outra pessoa começar com os itens da agenda ou o que está pensando. Ao fazer isso, com abertura e interesse, você promove uma conexão maior e torna mais provável que eles o ouçam, por sua vez. Tente permanecer no fluxo da interação com eles por pelo menos por alguns minutos, sem ficar muito preso às suas próprias preocupações, itens da agenda ou distrações digitais.

Se tudo isso parece pedir muito a si mesmo quando você começar a ver colegas de trabalho novamente, comece praticando essas etapas ao conversar com seus familiares ou amigos de confiança. Com a prática diária, você pode desenvolver uma “memória muscular” para as habilidades, o que torna muito mais provável que você as implemente no calor do momento no trabalho.

É claro que seria ideal se seus parceiros de conversa ou reunião também estivessem trabalhando nessas habilidades. Mas mesmo que você seja quem os inicia, seus colegas de trabalho provavelmente notarão e apreciarão sua nova maneira de se relacionar com eles. Sentir-se mais ouvido e conhecido por você terá um efeito positivo e poderá inspirá-los a serem mais abertos e receptivos a você.

Não se preocupe em ser perfeito nisso. Ninguém está, e todos nós temos momentos de falta de comunicação e dessintonização. Mas com as habilidades que descrevemos, você saberá que depois de um lapso momentâneo, você pode começar de novo e se reconectar. Mesmo uma pequena melhoria nessas habilidades pode ter um grande impacto positivo em suas relações de trabalho.

Não importa o seu papel dentro da empresa, é importante estar atento e trabalhar ativamente na motivação das equipes (inclusive para papéis de liderança) principalmente neste momento de retorno ao escritório presencial. Aproveite esta oportunidade e saiba mais como podemos ajudá-lo na sua estratégia de Employee Listening para a sua empresa.

* Texto produzido por Letícia Dallegrave, mestra em Comunicação Social e Publicitária.

Não deixe de ler também…

Onboarding na empresa: o que é e como implementar
Processos

Onboarding na empresa: o que é e como implementar

O processo de onboarding ajuda os novos funcionários a adquirir o conhecimento e habilidades necessárias para a ser imediatamente efetivo na organização. Neste artigo, falamos um pouco sobre a importância desse processo e como implementar na sua empresa.

Leia mais »
7 perguntas que você pode ouvir do novo colaborador
Gestão de Pessoas

7 perguntas que você pode ouvir do novo colaborador

A entrada de um novo colaborador é sempre um momento muito esperado. Seja em uma renovação de áreas, ou mesmo uma necessidade de aumento da equipe que se encontrava sobrecarregada, esse novo funcionário está pronto e disposto para esse novo desafio.

Leia mais »