RH do futuro: 4 ferramentas que vão facilitar seu dia-a-dia

Quer saber mais sobre as soluções da Appus?

A era da transformação digital alterou consideravelmente a forma de atuação dos profissionais de Recursos Humanos dentro das empresas. O RH do futuro está cada vez mais voltado à gestão de talentos e à maximização de resultados, totalmente inserido nos propósitos corporativos. Mas como acompanhar essa digitalização e quais são as principais tendências para o departamento? Neste post, vamos apresentar algumas ferramentas essenciais para o RH atual e dos próximos anos. Se você quer evitar a defasagem da sua empresa, acompanhe este artigo!

Qual o impacto da tecnologia no RH?

Chegou a hora de o RH experimentar a aplicação de novas tecnologias em seus processos e todas as mudanças internas consequentes dessa automação. O novo RH leva em consideração a análise de dados para melhorar a gestão de pessoas, uma das tarefas mais importantes do departamento no cenário atual. Ele se firma cada vez mais como apoiador na tomada de decisões. Com esse reforço, a empresa consegue conhecer os seus talentos e administrá-los em prol dos seus objetivos.

Quais as ferramentas essenciais para o RH do futuro?

Para aderir a esse novo cenário, é interessante que você conheça essas ferramentas e saiba como usá-las. Destacamos quatro das mais importantes.

1. Software para avaliação de desempenho

As avaliações de desempenho são peças-chave para a atuação do RH estratégico, pois possibilita identificar as competências e os pontos fracos a serem trabalhados nos colaboradores. Essas informações são usadas dentro de uma estratégia que procura aproveitar o melhor de todos os funcionários, com o intuito de alcançar as metas corporativas. A realização de avaliações de desempenho é o pontapé inicial dessa gestão de pessoas. Um bom software oferece várias opções desse tipo de avaliação para a empresa: por objetivos, por competências (nos modelos 180° e 360°) ou a junção dos dois métodos. A partir dessa variedade, a organização consegue aplicar a análise que julgar mais coerente em relação aos seus objetivos e dificuldades atuais, e obtém uma mensuração muito mais apurada.

2. Software de avaliação de clima organizacional

A pesquisa de clima organizacional indica a qualidade do ambiente de trabalho e o grau de satisfação dos funcionários com a empresa. Apenas por meio dessa avaliação é possível entender os aspectos que influenciam o engajamento dos colaboradores e seus impactos. Vale lembrar que um clima organizacional positivo proporciona uma série de benefícios. Por exemplo:
  • deixa as equipes mais motivadas;
  • eleva os índices de produtividade;
  • aumenta a retenção dos profissionais;
  • contribui para uma marca empregadora de destaque.
As pesquisas de clima organizacional tradicionais geralmente são realizadas uma vez por ano. É um processo lento, pois a partir dos seus resultados é feita a implementação de novas ações de melhoria, que demoram meses para trazerem retorno. Nesse intervalo, a organização perde os seus melhores talentos para o mercado e sobrecarrega ainda mais os funcionários que permaneceram, o que piora o ambiente de trabalho. Uma ferramenta digital consegue agilizar essas pesquisas. Ela setoriza a sua aplicação e permite uma análise qualitativa dos resultados, com uma visão detalhada para medir os índices de satisfação de maneira específica.

3. Mapeamento do perfil técnico e comportamental

A contratação de pessoas passa pela identificação de aspectos técnicos e, principalmente, comportamentais, que antes não eram tão valorizados pelas empresas. Hoje, as organizações sabem da importância que as posturas corretas têm no desenvolvimento dos projetos e na convivência entre as equipes. Nas empresas, a presença daqueles funcionários com excelente performance, mas de difícil convivência, tende a cair. Afinal, hoje o método de trabalho exige colaboração e troca de informações para que os resultados apareçam. A tendência é que o uso de ferramentas capazes de mensurar e relacionar esses aspectos (não só durante a seleção, como na trajetória profissional desse colaborador) seja cada vez maior.

4. Uso de metodologias e KPIs

O uso de métricas objetivas é indispensável para entender em qual ponto a organização está e quanto falta para alcançar as metas. Porém, essa aplicação vai além de um número de faturamento ou de lucro a ser alcançado. Os KPIs podem ser aplicados na gestão de pessoas, mas devem ser inseridos no contexto do negócio. Essas informações devem ser avaliadas constantemente para que a empresa possa se desenvolver. Por exemplo, quando usados para avaliar o índice de satisfação interna, os indicadores devem responder algumas perguntas:
  • Como está o nível atual de satisfação dos funcionários?
  • Até onde a insatisfação está afetando a retenção de colaboradores?
  • Quais estratégias serão implementadas para resolver essa insatisfação?
  • Quais práticas estão trazendo bons resultados?
  • Quais práticas não estão funcionando e devem ser revistas?

Como essas ferramentas podem ajudar o RH?

O chamado RH do futuro tem muito a ganhar com o uso das ferramentas que mencionamos. Veja agora quais são os principais benefícios.

Informações mais seguras

O uso de dispositivos tecnológicos aumenta a credibilidade dos dados e permite que a empresa faça análises muito mais acertadas, com base em números concretos. Essa segurança possibilita projeções reais e a formação de estratégias que vão ajudar a organização a alcançar metas mais altas. Outra vantagem oferecida pelos softwares é a centralização das informações. Desse modo, torna-se mais fácil acompanhar o desempenho dos funcionários e, assim, ter uma gestão de pessoas mais eficiente.

Redução de custos

As tarefas do RH demandam um investimento considerável de tempo e de dinheiro. É necessária a dedicação de muitos profissionais para manter esse setor em pleno funcionamento. Boa parte dessa mão de obra era subaproveitada em tarefas relacionadas ao Departamento Pessoal, que já estão em um processo avançado de digitalização em uma série de empresas. Porém, como se trata da coordenação de equipes, o volume de dados relacionados à gestão de pessoas e do clima organizacional ainda é enorme. Com o uso das ferramentas essenciais para o RH do futuro, é possível:
  • agilizar processos;
  • evitar contratações desnecessárias;
  • diminuir a rotatividade;
  • aproveitar melhor o capital humano;
  • utilizar os recursos com mais inteligência.

Consolidação do employer branding

As ferramentas que facilitam o trabalho do RH acabam interferindo positivamente na maneira com que a empresa lida com esses profissionais. Essa postura impacta no employer branding. A partir do momento em que a corporação dá condições de desenvolvimento profissional para cada indivíduo, os melhores talentos do mercado vão disputar um lugar na sua empresa. Esta, por sua vez, se beneficiará porque eles trarão mais inovação e qualidade aos processos.  Conhecer as necessidades do RH do futuro vai além de ficar por dentro das tendências do setor. É importante se preparar para esses novos cenários, e isso só é possível com a adoção de ferramentas e tecnologias capazes de otimizar a rotina. A Appus é especialista em People Analytics e entende que a aplicação de tecnologia e ciência na área de Recursos Humanos é uma necessidade. Entre em contato conosco e conheça as nossas soluções para modernizar a sua empresa e destacá-la da concorrência. 

Este texto foi produzido por Lígia Gama, em parceria com a Rock Content.

Meme Appus News

QUE TAL ASSINAR a nossa newsletter?

Não deixe de ler também…

Preencha os dados a seguir para entrar em contato com um de nossos especialistas.

Que tal assistir a um webinar com ótimas dicas sobre o RH do Futuro!

O perfil do profissional
de rh do futuro

Veja o conteúdo abordado: neste webinar!