Conheça as principais tendências da transformação digital para as empresas!

Quer saber mais sobre as soluções da Appus?

O uso de novas tecnologias otimiza os processos internos e o relacionamento com os clientes para agregar valor. Mais do que isso, as ferramentas adotadas contribuem para a inovação, elemento-chave para o sucesso. A questão nesse momento é: quais são as tendências de transformação digital e como elas contribuem para alcançar esses objetivos?

Veremos a resposta neste post. Afinal, esse conceito é bastante abrangente e muda diferentes setores das empresas, inclusive o RH. Por isso, neste artigo abordaremos os impactos da transformação digital, as principais tendências tecnológicas e como a gestão de pessoas pode se preparar para o futuro e garantir seu caráter estratégico.

Ficou interessado? Acompanhe e saiba mais!

O que é transformação digital?

A transformação digital é o conceito que abrange a aplicação de tecnologias aos processos de negócio, ativos e produtos corporativos. Por isso, esse é um dos principais fatores que conduzem um empreendimento à inovação, ao crescimento sustentável e à melhoria da eficiência, com o consequente aprimoramento do retorno sobre o investimento (ROI).

Essa explicação evidencia que a mudança proporcionada vai muito além da agregação de novas tecnologias. Também é preciso trabalhar com pessoas e negócios para haver uma verdadeira revolução da cultura organizacional, que ofereça impactos positivos às rotinas diárias.

Qual sua importância para as empresas?

A transformação digital é uma ideia indispensável para as empresas que desejam conquistar vantagem competitiva e ficar à frente da concorrência. Por meio dela, é possível tomar decisões acertadas, que levarão o negócio ao caminho do sucesso. Do mesmo modo, contribui para a inovação devido às alterações nos processos de desenvolvimento, práticas corporativas, infraestrutura de TI e tecnologias.

Esses benefícios são conquistados a partir dos pilares da transformação digital:

  • melhoria da compreensão do cliente;
  • uso de hacks de crescimento;
  • ampliação dos pontos de contato com os consumidores;
  • digitalização de processos;
  • capacitação de colaboradores;
  • gestão de desempenho;
  • modificações digitais nos negócios;
  • criação de novos empreendimentos digitais;
  • globalização digital.

Para atingir a todos esses patamares nos mais diversos âmbitos de negócio, surgiu a figura do Chief Digital Officer (CDO), profissional multidisciplinar que tem por responsabilidade implementar a transformação digital e revolucionar a empresa.

Esse processo é feito junto ao RH estratégico e a outros setores. Assim, são definidas as tecnologias certas para melhorar a eficiência, assim como desenvolvidas estratégias de engajamento e comunicação para aprimorar as questões referentes a multimídia, conteúdo e tecnologia.

Ao equilibrar o planejamento estratégico e utilizá-lo como base para a implantação de tendências de transformação digital, vários benefícios são alcançados — e eles demonstram a relevância dessa prática para o contexto corporativo. Veja!

Aumento do market share

A participação de mercado tende a ser aumentada com a transformação digital, porque há um canal maior de oportunidades: a internet. Com as melhorias de negócio, que fornecem um atendimento personalizado aos clientes, a marca se destaca perante a concorrência e há mais chances de gerar vendas em médio e longo prazo.

Crescimento da receita

As empresas que iniciaram a transformação digital apontaram um aumento de 30% no faturamento. Essa situação é derivada do aumento das possibilidades de vendas e aperfeiçoamento da experiência do cliente.

Melhoria do engajamento

Os colaboradores se sentem mais pertencentes ao negócio porque estão sempre conectados. Isso leva a uma melhoria do relacionamento com os colegas e também com os clientes — e inclusive pode gerar outras oportunidades.

Avanço na eficiência e na satisfação dos clientes

O processo de transformação digital precisa passar por mensuração de resultados e melhoria na gestão. Esse acompanhamento leva ao aumento da eficiência dos processos, que impacta a satisfação dos clientes, tanto internos quanto externos.

Perceba que todos esses fatores têm relação direta ou indireta com o RH. Por exemplo, por meio do upskilling, você oferece capacitação e treinamento para aprimorar diferentes competências nos profissionais. Ao mesmo tempo, conta com o apoio do profissional, que busca alcançar novos aprendizados e experiências.

Com o desenvolvimento das soft e hard skills, os profissionais têm maior fit cultural e também estão mais qualificados para se adaptarem às novas estratégias e às mudanças implementadas.

O que muda nas empresas com a transformação digital?

Esse processo implica diferentes alterações no negócio, porque, como já explicamos, a transformação digital vai além da inserção de novas tecnologias. A estruturação necessária traz algumas mudanças significativas, que precisam ser consideradas.

Quer saber quais são elas? Confira os próximos tópicos!

Inovação constante

A modificação do mindset, da estrutura e da própria gestão organizacional implicam inovação constante dos modelos utilizados, com uma entrega de serviços melhor e mais eficiente. Mais que uma ação pontual, esse conceito deve permear toda a cultura, a fim de que sejam criadas vantagens competitivas, que permitam à empresa estar à frente da concorrência.

Por isso, é importante considerar esse aspecto desde o processo de recrutamento e seleção até a implantação de atividades que visam à qualidade de vida no trabalho. O propósito é ter um ambiente em que seja permitido aprender, errar, mensurar números e adaptar estratégias para que todos alcancem melhores resultados.

Criação de diferencial competitivo

Esse benefício é derivado de vários fatores, especialmente porque é implementado um modelo de negócio que coloca a experiência do cliente como aspecto central, junto às tecnologias. De modo geral, a ideia é usar as novas ferramentas para atender às demandas existentes e agregar valor ao serviço oferecido ou produto comercializado. Isso também leva ao aumento do market share para 41% das organizações que implementam a transformação digital.

Melhoria dos resultados

As soluções mais eficientes e personalizadas levam a uma melhoria da reputação e da imagem da organização perante clientes e candidatos a vagas. Ainda há o aperfeiçoamento dos processos internos, com redução de custos e elevação do faturamento devido à automação das atividades. Mais além, torna-se mais fácil identificar oportunidades reais para conquistar resultados sólidos para o futuro.

Fortalecimento do employer branding

Essa é a estratégia de construir uma marca empregadora. Desse modo, é possível promover a empresa junto aos profissionais para atrair e reter talentos. Da mesma forma, esse processo contribui para a fidelização dos colaboradores que já trabalham no negócio.

A transformação digital auxilia o employer branding porque fornece aos profissionais todos os recursos necessários para que suas funções sejam executadas de maneira apropriada. Com o People Analytics, por exemplo, você consegue encontrar os melhores talentos, mensurar o nível de satisfação dos colaboradores e melhorar o clima organizacional.

Agora, você já sabe como as tendências de transformação digital são positivas para seu negócio. No entanto, ainda falta conhecer outros detalhes. Continue lendo!

Como a transformação digital está sendo implementada nas empresas?

O levantamento Rewriting the rules for the digital age, da Deloitte, aponta que a sociedade se adapta com mais agilidade às mudanças. Por sua vez, as organizações se movem a um ritmo mais lento. O que essa afirmação significa na prática?

A resposta é simples! As companhias de sucesso são aquelas que se adaptam às mudanças com mais facilidade, isto é, que são dinâmicas. Nesse cenário, o RH do futuro precisa ser consolidado agora mesmo, porque é a partir dessa atuação estratégica que o restante do negócio será capaz de adquirir essas competências.

Ao considerar todo esse escopo de atuação, é possível delimitar os estágios pelos quais a organização deve passar, a fim de implementar a transformação digital. Conheça os principais em seguida.

Criação de uma cultura de inovação constante

A transformação digital é impossível de ser colocada em prática sem a inovação constante. Como destacamos, essa é mais que uma ação pontual. Por isso, exige que todos os setores participem de seu processo de organização, conhecimento e criação de processos. Ao adotar essa ideia como parte da cultura organizacional, a empresa gera vantagem competitiva e trabalha junto a seus colaboradores em prol de um mesmo objetivo.

Nesse contexto, os profissionais são incentivados a trazer novas ideias e colaborar com sugestões. Para ser mais eficiente, vale a pena definir métricas de inovação e determinar quais problemas serão solucionados a partir da criatividade dos colaboradores. É o caso, por exemplo, de delimitar o objetivo de aumentar as vendas em 10% em seis meses. A partir disso, cada integrante da equipe deve propor ideias para transformar essa meta em realidade.

Definição do planejamento estratégico

A cultura de inovação constante deve ser aliada à delimitação do planejamento estratégico. A transformação digital precisa estar embasada em objetivos claros, por exemplo: ganho de produtividade, aumento da satisfação dos consumidores, integração dos processos decisórios, melhoria da retenção de talentos etc. A partir dessa definição, chega o momento de pensar nas etapas necessárias para atingir cada uma das metas.

É o caso de identificar a necessidade de treinamento dos colaboradores, adoção de tecnologias e sistemas, e modificações em processos. Ao mesmo tempo, considere as prioridades — isto é, o que deve ser alterado em primeiro lugar — e o orçamento disponível para as atividades.

Mudança de infraestrutura

A próxima etapa é implementar as alterações, a começar a infraestrutura de TI da organização. A equipe de tecnologia deve escolher sistemas e softwares que atendam às demandas corporativas e tragam mais eficiência aos processos internos executados.

Nesse momento, ofereça treinamentos para a equipe, que costuma ficar vulnerável por sair de sua zona de conforto. Se a de TI for pouco especializada, contrate consultorias e parceiros. O ideal é contar com a ajuda do RH para identificar as necessidades dos colaboradores.

Modificação do mindset

O mindset é a mentalidade dos colaboradores e o que eles pensam sobre a organização. Sem mudar esse critério, é inviável inserir o negócio na transformação digital. Por isso, é fundamental fazer uma modificação nesse quesito relacionado à gestão.

O recomendado é ser transparente e comunicar como as modificações ajudarão a organização. Explique os impactos que serão obtidos, os resultados esperados e como a liderança está engajada nesse processo. Utilize treinamentos e capacitações para que os profissionais saibam lidar com as novas ferramentas e explorar as funcionalidades ao máximo.

Tenha em mente que o RH sempre deve trabalhar junto à TI. É assim que as tecnologias serão inseridas e que os colaboradores serão capacitados para lidar com esse novo contexto. As duas áreas são estratégicas e a gestão de pessoas, especificamente, tem a responsabilidade de cuidar do ambiente interno. É assim que haverá um clima motivacional, que gerará efeitos positivos para a produtividade e a performance dos colaboradores.

Falando nesse aspecto, é preciso considerar os impactos da transformação digital no RH e como a área implementa esse processo. É o que veremos logo em seguida. Continue a leitura!

E no RH?

No cenário de inovação e mudanças tecnológicas constantes, o RH tem o papel de liderar os processos de mudança. Junto ao CDO — ou até de forma isolada, no caso das organizações que não contam com esse profissional —, o gestor dessa área é responsável por realizar uma mudança cultural e estrutural para alcançar os benefícios desse novo cenário.

Por falar em vantagens, elas são variadas e consistem basicamente em:

  • integração da informação, para obter informações e dados corretos e garantir a homogeneidade dos processos devido à automação;
  • melhoria dos processos, porque as atividades são executadas com mais eficiência e menor taxa de falhas — com isso, há mais agilidade executiva e os gargalos são eliminados;
  • aumento da previsão nos processos de recrutamento, já que os currículos impressos são substituídos por softwares que fazem a triagem de candidatos e encontram os perfis mais adequados;
  • crescimento da retenção de talentos, por meio do uso de ferramentas de Big Data e RH, que se constituem no People Analytics — lembre-se ainda de que esse instrumento também pode ser usado para a atração de colaboradores.

Ao considerar todas essas vantagens, fica a dúvida: como levar o RH ao contexto da transformação digital? Listamos algumas etapas relevantes logo abaixo.

Modifique a estrutura organizacional

A cultura empresarial deve estar preparada para a inovação, mas a estrutura do setor também deve ser transformada. A área de RH precisa estar fisicamente pronta para agregar equipamentos e ferramentas, a fim de garantir sua inserção nesse novo contexto de negócio.

Capacite os colaboradores

A dificuldade das pessoas em trabalharem com ferramentas digitais é um dos principais desafios enfrentados pelas organizações. Essa prerrogativa também é válida para o RH. Além desses profissionais deverem ter capacidade de se ajustarem ao novo cenário, precisam identificar a necessidade de treinamento. Tudo isso fará os colaboradores se sentirem motivados, confiantes e valorizados.

Conte com as ferramentas adequadas ao RH

O uso das ferramentas é essencial, desde que elas estejam adequadas ao setor e às suas demandas internas. Existem diferentes opções válidas no mercado, como: plataformas de análise comportamental, que cruzam informações para compreender o perfil dos colaboradores, e de People Analytics, que usa o Big Data para coletar e armazenar dados.

Seguindo essas recomendações, a gestão de pessoas sofrerá um grande impacto das novas tecnologias e alcançará resultados melhores. De quebra, os efeitos positivos vão além do setor, porque essa área é estratégica e lidera toda a mudança da organização. Porém, quais são as tendências de RH e da própria transformação digital? É o que responderemos a partir de agora.

Quais são as principais tendências de transformação digital para os próximos anos?

O Dicionário Michaelis Online define tendência como: “orientação comum em determinada categoria ou grupo de pessoas; movimento. Evolução de algo num dado sentido; orientação”. Essa explicação evidencia que essa palavra remete a algo futuro, mas que já vem sendo adotado no presente — afinal, representa um progresso.

A transformação digital é exatamente isso. Dessa forma, é preciso compreender quais são as tendências que levarão sua empresa a esse caminho. Acompanhe abaixo.

Desenvolvimento orientado por Inteligência Artificial (IA)

Esse procedimento analisa ferramentas, tecnologias e melhores práticas para agregar a IA em aplicativos e criar ferramentas especializadas para o processo de desenvolvimento. Há três principais possibilidades:

  • as ferramentas de IA deixam de ser voltadas somente para cientistas de dados e se voltam para a comunidade de desenvolvedores profissionais;
  • as plataformas são capacitadas com recursos orientados pela IA para automatizar atividades e ajudar os desenvolvedores profissionais;
  • as ferramentas de IA evoluem para trazer expertise ao negócio e aprimorar as atividades relacionadas ao design de soluções.

Em suma, qualquer um desses vieses traz uma aplicação corporativa mais acertada, que subsidia as tomadas de decisão. Mais pessoas são capazes de utilizar os serviços e aumentar a eficiência.

Priorização da experiência do usuário

A conexão das pessoas com uma grande gama de dispositivos é o futuro. As plataformas oferecidas fornecem informações relevantes de maneira simples e fácil, assim como sites e apps criam experiências intuitivas que economizam o tempo do usuário e evitam conflitos desnecessários.

Por isso, o User Experience (UX) está tão em voga. Afinal, o impacto que determinada tecnologia causa na pessoa é mais importante do que ela identificar todas as funcionalidades. Para o âmbito corporativo, essa questão tem dois vieses: satisfação e fidelização dos clientes, e melhoria do trabalho dos colaboradores, que tende a diminuir o turnover.

Espaços inteligentes

Os espaços inteligentes são ambientes físicos ou digitais que permitem a interação entre humanos ou sistemas tecnológicos com ecossistemas abertos, conectados, inteligentes e coordenados. As principais dimensões desses lugares são: abertura, coordenação, conectividade, inteligência e escopo.

Seu desenvolvimento continua, conforme as tecnologias individuais são inseridas nas organizações para criarem ambientes colaborativos e de interação. Ademais, outras ferramentas fomentam essa tendência, como a inteligência artificial, blockchain, edge computing e outras. Um exemplo de espaços inteligentes são as smart cities, que combinam comunidades residenciais, negócios e indústrias em uma estrutura urbana relacionada à colaboração social e comunitária.

Gestão da informação e do conhecimento

As organizações geram um grande volume de informações todos os dias — portanto, a geração de conhecimento é constante. Essa é uma maneira de agregar valor ao negócio, especialmente se o aprendizado for coordenado pelo RH.

Essa área é imprescindível para ajudar outros colaboradores da empresa, assim como trazer diversidade à formação e à mediação das experiências de aprendizagem. Isso acontece por meio dos processos de recrutamento e seleção, que visam à contratação e manutenção dos melhores talentos.

Recrutamento cognitivo

As diferentes plataformas e funcionalidades para atração de talentos inseridos nas ferramentas do RH aperfeiçoam os processos de recrutamento, seja interno, seja externo. Essa característica torna o processo mais escalável, consistente e legal. Da mesma forma, diminui o tempo e os custos desse procedimento.

Aproximação entre RH e TI

Esses dois setores precisam trabalhar em conjunto para que a transformação digital seja efetivamente implementada. A aproximação de RH e TI é derivada da consumerização da tecnologia, o que faz as ferramentas serem pensadas para os colaboradores. Com isso, a gestão de pessoas digitalizada se torna ainda mais responsável pelos negócios.

Quais são os impactos da transformação digital no mundo corporativo?

As tendências apresentadas anteriormente evidenciam que a transformação digital impacta as empresas de modo muito significativo. No entanto, existem outros aspectos que contribuem para os resultados positivos à estratégia do negócio.

Os principais estão listados a seguir.

Aumento das receitas

As ações realizadas no ambiente corporativo visam ao aumento de faturamento — e a transformação digital contribui em vários aspectos. Um deles é o alcance das atividades, que se tornam mais amplas. Isso leva ao aumento das potencialidades e simplificação dos processos para alcançar mais produtividade.

Melhoria da motivação dos colaboradores

Uma das principais ações da transformação digital é automatizar os procedimentos operacionais, medida que traz benefícios à produtividade. Além disso, os profissionais têm caráter mais estratégico e precisam ter capacidade de tomar decisões, agir de modo proativo, atender às tarefas delegadas e ter um comportamento que propicie a harmonia no ambiente de trabalho. Para isso, é preciso investir em treinamentos e processos de recrutamento e seleção.

Aperfeiçoamento da comunicação interna

A transformação digital exige que os setores trabalhem de forma integrada, o que requer uma boa comunicação interna. Os impactos são importantes para melhorar o fluxo de trabalho, integrar as informações e tornar os processos mais eficazes e conscientes. Para a gestão, essa é a oportunidade de tomar decisões embasadas e fazer uma administração transparente.

Ampliação do modelo de negócio

A transformação digital é muito ampla, mas permite criar oportunidades. Uma delas são os Softwares as a Service (SaaS), empresas que desenvolvem sistemas para serem utilizados dentro do contexto da computação em nuvem, ou seja, sem a necessidade de instalação.

Como o RH pode se preparar para essas mudanças?

Várias ações podem ser adotadas para garantir que o RH esteja pronto para esse novo contexto. Primeiramente, é preciso evoluir e quebrar paradigmas. Ao deixar de lado as ideias preconcebidas, você deixa espaço para todas as iniciativas que apresentamos neste post — e outras mais.

Junto a essa proposta, é fundamental que a área seja cada vez mais estratégica. Um RH multidisciplinar e capaz de identificar oportunidades e possibilidades de melhoria contribui para uma atuação adequada, que apoie a liderança e fale a linguagem de negócios.

Por isso, vale a pena contar com profissionais da área e também de outros setores, como engenheiros, administradores, advogados, da TI e da comunicação, e mais. Ao contar com essa força de trabalho extra, o gestor de RH trabalha de forma aliada à tecnologia e colabora para a execução das estratégias.

Em suma, as tendências de transformação digital são variadas e todos visam ao mesmo propósito: melhorar os processos internos. É importante conhecê-las e saber como aplicá-las para garantir os melhores resultados no seu negócio. Ao mesmo tempo, lembre-se do papel do RH nesse contexto. É dessa forma que será possível ter uma equipe de alta performance.

O que achou de saber mais sobre a transformação digital e suas possibilidades? Receba novos conteúdos sobre esse e outros assuntos de RH seguindo nossos perfis no Facebook e no LinkedIn!

Este texto foi produzido por Lígia Gama, em parceria com a Rock Content.
Meme Appus News

QUE TAL ASSINAR a nossa newsletter?

Não deixe de ler também…